Notícias

Relatório aponta que veículos automotores estão emitindo menos poluentes.

 

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) acaba de lançar a edição 2013 do Inventário Nacional de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores. O documento aponta que, nos últimos dez anos, entre 2002 e 2012, os automóveis, apesar do aumento da frota, estão poluindo menos o meio ambiente. As emissões de monóxido de carbono (CO) e de hidrocarbonetos não-metano (NMHC), por exemplo, tiveram queda de 52% e 45,1%, respectivamente.

O trabalho tem como base as emissões atmosféricas do ano de 2012, e apresenta um quadro completo do total de poluentes emitidos no Brasil pelo transporte rodoviário, incluindo automóveis, ônibus, caminhões e motocicletas. Esta é a segunda edição do inventário – a primeira foi lançada em 2011 -, que apresenta uma série histórica das emissões dos poluentes regulamentados pelo Proconve (Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores).

De acordo com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o documento é importante para subsidiar políticas públicas, além de orientar deliberações do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). O MMA avalia que os resultados do relatório confirmam a correção das medidas tomadas pelo governo federal, que está exigindo motores e combustíveis mais sofisticados e ambientalmente adequados da indústria automobilística.

O Ministério estima que as emissões irão diminuir ainda mais. Segundo o secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do MMA, Ney Maranhão, “as novas fases de Programas como o Proconve P7 e L6 e Promot M4, aliadas aos novos combustíveis com baixíssimo teor de enxofre, irão confirmar as previsões do Inventário Nacional para os próximos anos”.

Como a frota não para de aumentar, o secretário destaca que é importante manter medidas firmas para o controle da poluição, além de maior atenção dos governos estaduais para implantarem medidas como programas de inspeção e manutenção veicular. Ainda para o MMA, o relatório contribui com as discussões sobre a construção de um novo Padrão Nacional de Qualidade do Ar e para adequar o país aos níveis de emissão recomendados pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

Com informações do Ministério do Meio Ambiente.
Fonte: CNT.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up