Notícias

Governo lança plano para evitar caos logístico.

Diante da perspectiva de uma nova safra recorde e sem ter expandido a infraestrutura logística de forma significativa, o governo lançou nesta quarta-feira um pacote de medidas para evitar, em 2014, a repetição das filas quilométricas de caminhões que se viram no início deste ano. A principal aposta para evitar o caos é um sistema de agendamento que vai sincronizar a chegada de navios e caminhões aos portos, batizado de Portolog.
Ele começará a ser testado para o porto de Santos em janeiro e deverá estar funcionando em fevereiro, quando começa o embarque da safra de grãos. A ideia é evitar que os caminhões sobrecarreguem o sistema Anchieta-Imigrantes e a cidade de Santos, explicou o ministro-chefe da Secretaria dos Portos (SEP), Antonio Henrique Silveira. “Não vai se repetir a situação do ano passado.”
Os caminhões só serão autorizados a entrar no porto dentro de uma faixa de horário estabelecida pelo administrador portuário, de forma que ele não ficará esperando para descarregar. Para evitar que o motorista fique parado na estrada, serão colocados à disposição pátios de estacionamento. “Vamos transferir as filas para ambientes fechados, seguros e com infraestrutura”, disse Silveira.
Sistema semelhante já vem sendo utilizado pelo porto de Paranaguá (PR). Dois terrenos da União deverão ser utilizados para esse fim. Um, de 180 mil metros quadrados, fica próximo a Campinas, na altura do quilômetro 24 da via Anhanguera. Outro, de 150 mil metros quadrados, fica em Ribeirão Pires.
A Companhia de Docas de São Paulo também fez uma chamada pública a interessados em fornecer áreas e deverá fazer uma análise das respostas amanhã. Haverá ainda um estacionamento na baixada, nas proximidades do porto, para os caminhões que estejam prestes a ser autorizados a entrar.
Dragagem. Outras medidas também ajudarão a minimizar a demora no embarque dos grãos. A SEP prevê para este mês a conclusão da dragagem de um dos canais de acesso ao porto. Com isso, os navios poderão transitar mais carregados sem correr o risco de encalhar.
O Ministério dos Transportes, por sua vez, trabalha para ampliar o uso de ferrovia para exportar grãos por Santos. Segundo o ministro César Borges, foi assinado um termo de ajuste de conduta com a concessionária ALL, que terá de fazer obras de forma a aumentar a velocidade dos trens e o volume de carga transportada já em 2014. “Hoje, um trem leva 80 horas para ir de Rondonópolis até o porto.”
Outra providência foi a eliminação de um cruzamento de rodovia com ferrovia que era um gargalo em Santos. Os fluxos foram separados com a construção do viaduto de Conceiçãozinha, concluído em maio. Outra obra pronta que ajudará a desafogar o trânsito na área portuária é a reforma da rua Idalino Pinez, no Guarujá, que é o único acesso à margem esquerda do porto.
De acordo com o ministro da Agricultura, Antonio Andrade, a estimativa é que haja um aumento de pelo menos 11% no volume de grãos exportados na próxima safra. Em 2013, foram embarcadas 90 milhões de toneladas e a expectativa para 2014 é superar os 100 milhões.
Fonte: O Estado de S. Paulo.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up