Notícias

Cidades perdem oportunidades por falta de infraestrutura de rodovias.

21535 1 - Sindicamp

“Não tem produção por que não tem infraestrutura, e não tem infraestrutura porque não tem produção.” Esta é a conclusão do diretor executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz Ferreira, após retornar do Estradeiro da BR-174, que percorreu cerca de dois mil quilômetros por duas rodovias federais e sete rodovias estaduais.

O percurso teve inicio em Tangará da Serra, na segunda, (24), e encerramento, na quinta, (27), no Sindicato Rural do mesmo município. A comitiva composta por produtores rurais, colaboradores, delegados, o vice-presidente da região Oeste da Aprosoja, Vanderlei Reck Júnior, além de lideranças políticas da região passou por 13 cidades nos estados de Rondônia e Mato Grosso.

Os municípios visitados foram Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis , Conquista D’Oeste, Campos de Júlio, Comodoro, Vilhena -RO, Juína, Juruena, Cotriguaçu, Nova Monte Verde, Nova Bandeirantes Juara e Brasnorte.

De todas as rodovias estaduais, apenas trechos da MT-208, MT-170 e MT-417, estão incluídos no programa de pavimentação do MT Integrado, do governo de Mato Grosso.

Por todos os lugares que a Equipe do Estradeiro passou os problemas se repetem. Lugares em grande potencial de crescimento veem suas possibilidades de desenvolvimento impedidas pela dificuldade logística.

Cecílio Rosa Neto, prefeito de Juruena, lamenta o isolamento de sua cidade, e o elevado preço de bens de consumo. “Nós apanhamos duas vezes: na hora de comprar caro, por causa do frete, e vender barato nossa produção madeireira, bovina e leiteira bois, também por conta do frete. É desmotivador”, desabafou.

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) divulgou no ano passado o estudo de aptidão para novas áreas agrícolas em Mato Grosso.

No levantamento realizado, a região que compreende os municípios de Juara, Nova Monte Verde e Nova Bandeirantes está entre as mais propícias para esta prática. O analista de geoprocessamento e logística do Imea, Tiago Assis, que participou do Estradeiro destacou que a falta de estradas inviabiliza a expansão da agricultura. “A região só é ocupada por pecuária por não ter uma boa estrutura logística. A pastagem daquela região tem grande potencial para conversão para lavoura“, afirmou.
Fonte: Setcesp.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up