Notícias

Novo PAC tem licenciamento ambiental e governança como principais preocupações, aponta pesquisa

Outros pontos de preocupação relevantes apontados na pesquisa foram a baixa capacidade de financiamento para os projetos (48,7%) e a baixa capacidade de estruturação devido à quantidade dos projetos (43,9%).

Apesar dos temores, o levantamento colheu uma perspectiva relativamente positiva quanto ao Novo PAC. A maior parte dos entrevistados (51,5%) teve suas expectativas parcialmente atendidas pelas medidas e propostas do programa federal. Para 35,7%, as expectativas não foram atendidas e, para 7,1%, as projeções foram integralmente atendidas.

O principal ponto positivo destacado pelos entrevistados foi a maior participação privada nos investimentos, por meio de PPPs e concessões (45,9%), seguido pelas diretrizes dos investimentos, em transição ecológica, infraestrutura sustentável e neoindustrialização (32,9%).

O estudo, realizado semestralmente pela EY e pela Abdib, também indicou que o investidor de infraestrutura ficou mais otimista entre o primeiro e o segundo semestre de 2023: na pesquisa realizada entre outubro e novembro do ano passado, 44% indicaram um cenário favorável para a promoção de investimentos em infraestrutura nos seis meses seguintes, contra 24,2% que viam ambiente desfavorável.

O resultado representa uma melhora em relação à pesquisa feita no semestre anterior (primeiro semestre de 2023), na qual a maior parte dos respondentes (37,8%) apontava um ambiente desfavorável e 31,9%, favorável.

Já a confiança em relação ao crescimento do país segue relativamente baixa. Apenas 25,8% dos respondentes indicaram projeção otimista, quase empatados com os pessimistas, que somaram 24,2%. A maior parte (50%) viu um cenário estável. Ainda assim, o resultado também apresentou uma melhora na comparação com a pesquisa realizada no início de 2023, na qual os pessimistas somaram 38,8% e apenas 16,3% estavam otimistas.

Quando questionados sobre os segmentos da infraestrutura em que haverá mais interesse de investimento nos próximos três anos, a maior parte dos entrevistados (61,5%) indicou o saneamento básico — setor que liderou as respostas nas últimas quatro pesquisas realizadas. Na sequência, vêm energia elétrica (46,9%), rodovias (32,4%) e mobilidade urbana (26,3%).

Fonte: O Globo/ Foto: Valor Econômico

Compartilhe: