Notícias

Coronavírus: transporte argentino é um dos mais afetados

De acordo com a Federação Argentina de Entidades Empresariais de Transporte de Cargas (FADEEAC), projeta-se que 30% do setor possa desaparecer ao final da crise naquele país. Um relatório publicado pela IRU descreveu a situação muito difícil do transporte de mercadorias em todo o mundo e, em particular, na Argentina. Segundo a investigação, o setor de transportes é um dos setores mais afetados e atingidos pelo Covid-19 devido a fortes restrições de tráfego, quebras nas cadeias de suprimentos e desaceleração da economia em geral.

A pesquisa realizada em 78 grandes economias garante que, nesse contexto, as finanças dos operadores de transporte, incluindo renda e fluxo de caixa, tenham sido seriamente afetadas, o que levou muitas empresas à falência. Ao mesmo tempo, alerta que, como o transporte rodoviário é um motor fundamental de toda atividade econômica e social, a recuperação geral da economia em países ao redor do mundo está em perigo, esperando uma redução de 18% no volume operado anualmente.

Entre as regiões mais afetadas que a IRU destaca em seu relatório, estarão o Oriente Médio e o norte da África , com uma redução estimada de atividade de -22% (20 bilhões de euros a menos); Ásia e Pacífico, com uma queda na atividade de -21% (338 milhões de euros a menos); e América do Sul com uma queda de -20% na atividade (29 bilhões de euros a menos).

Fonte: Agrolink 

Compartilhe:

Receba nossa newsletter!

Fique por dentro das novidades do setor.

© 2022 – Sindicato das Empresas de Transportes e Cargas de Campinas e Região – SINDICAMP – Todos os direitos reservados | Desenvolvido por PrinciWeb