Notícias

Viracopos cai em ranking de satisfação de passageiros.

 

Viracopos caiu seis posições no ranking dos melhores aeroportos do Brasil, caindo do 6º para o 12º lugar, segundo a última pesquisa de satisfação dos passageiros, realizada pela Secretaria de Aviação Civil (SAC) da Presidência da República e divulgada hoje.

A análise foi feita entre os meses de abril e junho de 2014 em 15 terminais brasileiros. O resultado é que a nota do aeroporto de Campinas caiu de 3.8 (em 2013) para 3.49 (em 2014).

Os itens mais criticados foram: tempo na fila de imigração, internet wifi e disponibilidade de táxi. Já os mais elogiados, sala VIP, transporte público e lojas.

Foram ouvidos 658 clientes, dos quais 85% viajaram com voos domésticos e 15% com internacionais. Do total, 58% viajaram sozinhos, e maioria tem entre 26 e 35 anos.

Estamos trabalhando para melhorar as condições do aeroporto, informou a concessionária Aeroportos Brasil Viracopos à reportagem. A empresa é a responsável pelo terminal, e foi questionada a respeito do resultado da pesquisa.

Os aeroportos que conseguiram as melhores notas na percepção dos passageiros foram os que entregaram melhorias prontas até junho – quando foi realizada a Copa do Mundo. Já as obras de Viracopos ainda não terminaram.
Congonhas, Porto Alegre, Galeão e Brasília subiram três posições em relação ao último ranking (feito no segundo trimestre de 2013).

No total, a pesquisa divulgada hoje ouviu 15.856 clientes, avaliando acesso, check in, migração, infraestrutura e aduana.

“Essa pesquisa reflete o que os passageiros vivem quando se deslocam de avião pelo país. Com esses dados, podemos exigir que cada aeroporto trace um plano de gestão para melhorar os quesitos mais criticados pela população. Já fizemos isso com o aeroporto de Manaus. Percebemos, por meio dessa pesquisa, que as filas da Receita Federal estavam acima do razoável. Nos reunimos com eles e o problema foi resolvido. A ideia é sempre prestar um serviço digno à população”, disse o ministro-chefe da Aviação Civil, Moreira Franco.

 

Demanda

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estima que precisará preencher cerca de 40% de novas vagas em seu quadro para conseguir atender a demanda por fiscalização das novas operações previstas no Plano de Aviação Regional.

O plano foi desenvolvido em 2012 e prevê operação em 270 novos aeroportos, além de subsídios às empresas aéreas que ofertem novos voos para terminais em cidades com menos de 1 milhão de passageiros. O subsídio foi autorizado na última segunda-feira (3), via medida provisória.

De acordo com o diretor de Operações em Aeronaves da Anac, Carlos Pellegrino, a demanda já existe em função do déficit de servidores no quadro da agência, estimado em 40% do total.

“Vamos precisar complementar o quadro para receber mais servidores. Os novos aeroportos não vão acontecer de um dia para o outro. Vamos fazer um planejamento”, avaliou Pellegrino.

Atualmente, a agência que regula o setor aéreo em todo o País possui em seu quadro cerca de 1.200 funcionários.

A estimativa é que sejam necessários mais 550 servidores para atender a demanda por fiscalização e controle dos novos terminais e operações.

Segundo Pellegrino, a contratação depende do Ministério do Planejamento, mas ainda não há um pedido formal da Anac para realização de novos concursos.

“Mesmo com todo esforço para colocar troca de informações digitais, não há como fazer isso sem gente. Zerando esse déficit já contemplamos as necessidades para os novos aeroportos”, completou o diretor.

Fonte: Rac.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email