Notícias

Venda de caminhões crescerá mais de 30% em 2021, aponta Fenabrave

Fenabrave revisa para cima a projeção da venda de caminhões, mesmo com a falta de componentes, que fez a indústria deixar de fabricar 11,6 mil unidades

A venda de caminhões novos vai repetir, no segundo semestre de 2021, os bons resultados da primeira metade do ano. Ou seja, serão emplacadas mais 58 mil unidades nos próximos meses. Como isso, os emplacamentos deste ano serão 30,5% maiores que os de 2020. Segundo o presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Alarico Assumpção Júnior.

Nesse sentido, os números são positivos, ainda mais se levar em conta os problemas que afetam a indústria pela falta de componentes eletrônicos, como semicondutores. Há também falta de pneus. Segundo Assumpção, “há casos de caminhões que estão sendo produzidos. Mas ficam parados no pátio por falta de pneus, por exemplo”, afirma o presidente da Fenabrave.

“Contudo, a normalidade com relação à falta de componentes deve voltar a partir de abril de 2022. O Brasil produziu 58.045 caminhões no primeiro semestre. Mas por, causa da falta de peças, deixou de produzir cerca de 11.600 unidades no mesmo período”, diz Assumpção.

Caminhões com PBT acima 30 t faltam no mercado

Logo, a venda de caminhões com peso bruto total (PBT) superior a 30 toneladas foi a mais prejudicada. Isso porque esses modelos são os que mais estão em falta. Nesse sentido, o segmento está sendo impulsionado pelo agronegócio.

Seja como for, se as projeções se concretizarem, a venda de caminhões em 2021 será de 116.415 unidades. Ou seja, um avanço de 30,5% em relação a 2020.

Portanto, o número é resultado de uma revisão feita pela Fenabrave. Nesse sentido, no início de 2021 a federação havia projetado um crescimento de 21,7% nas vendas.

Aliás, a Fenabrave revisou para cima as projeções de todos os segmentos de veículos comerciais. Ou seja, a venda de caminhões, ônibus e implementos rodoviários.

Segundo Assumpção, a nova projeção é bem realista. Sobretudo ao considerar a capacidade de produção do País. “Trata-se de um volume baixo em número de unidades”, diz.

Fenabrave projeta avanço do setor de implementos

Seja como for, o setor de implementos rodoviários também está a todo vapor. Nesse sentido, as vendas em 2021 devem crescer 41,1%. Ou seja, estamos falando de 95.069 emplacamentos.

Segundo Assumpção, esse setor é menos dependente de componentes eletrônicos, que são os que mais estão em falta. De acordo com ele, as vendas vêm sendo impulsionadas, além do agronegócio, por segmentos como construção civil e serviços.

Assim como a venda de caminhões, a de implementos rodoviários teve a projeção atualizada para cima. Ou seja, em janeiro a Fenabrave estimava que o setor fecharia 2021 com 82.530 emplacamentos. Ou seja, crescimento de 22,5% ante 2020.

Caminho da Escola ajuda setor de ônibus

Por outro lado, as fabricantes de ônibus ainda estão sofrendo muito com a crise gerada pela pandemia da covid-19. Seja como for, a projeção de vendas também é positiva. Sobretudo por causa da demanda gerada pelo programa Caminho da Escola.

“Houve uma compra inesperada no primeiro semestre relacionada ao programa”, diz a sócia da MB Associados, que faz as projeções para a Fenabrave, Tereza Maria Fernandes. “Isso fez com que a gente revisasse a projeção”, diz.

De acordo com Assumpção, há alguns fatores determinantes para o aumento das vendas. Assim, ele cita o avanço da vacinação, que permitirá a aceleração da atividade econômica no País. Segundo ele,. isso fez aumentar as vendas para atender o transporte coletivo e o rodoviário.

Porém, de acordo com o executivo, os volumes ainda serão baixos. Assim, a Fenabrave reviu a projeção de alta de 8,2% para 10,6% em 2021. Ou seja, a previsão, que era de 19.710 unidades, passou a ser de 20.150.

Fonte: Estradão

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email