Notícias

Trecho Planalto da Tamoios é entregue duplicado.

tamoiosrod - Sindicamp

O governador Geraldo Alckmin entregou na sexta-feira (24) a duplicação do trecho Planalto da rodovia Tamoios. Os 16 mil usuários diários do trecho duplicado receberão uma rodovia moderna, segura e com maior fluidez de tráfego. As obras de duplicação, entre os quilômetros 11,5 e 60,5, iniciadas em maio de 2012, aumentaram a capacidade de tráfego da via em 98%. Foram investidos R$ 1,1 bilhão.
O trecho inaugurado conta com barreiras de concreto dividindo as duas pistas, telas anti-ofuscantes, acostamentos com 3 metros de largura, retornos e passagens em desnível. O traçado foi aperfeiçoado, com retificação de curvas acentuadas e de rampas íngremes. As inovações garantem maior segurança para motoristas e moradores dos municípios da região, reduzindo o risco de acidentes, principalmente as colisões frontais. A capacidade viária do Planalto passou de 1.820 para 3.600 veículos por hora.
Foram eliminados todos os cruzamentos em nível na pista. Os retornos e acessos aos municípios são feitos por passagens subterrâneas ou viadutos implantados a cada três quilômetros, aproximadamente. Ao todo foram construídos 23 dispositivos com esta finalidade, além de sete pontes paralelas às existentes nos ribeirões Pantanhão e Canoas, no reservatório de Paraibuna e nos rios Paraibuna e Fartura.
O resultado é uma diminuição de mais de sete minutos no tempo médio das viagens ao longo dos 49 quilômetros que compõem o trecho, o que representa uma economia anual de 700 mil horas já em 2014.
Sem parar – O grande desafio enfrentado pela Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A), responsável pelo gerenciamento da obra, foi trabalhar com a rodovia em funcionamento. Foi necessária a elaboração de uma operação especial de tráfego para que as intervenções convivessem com a movimentação de veículos. Operações Pare-Siga para manobra de equipamentos pesados, remoção de terra e interrupções totais de tráfego para a detonação de rochas foram necessárias ao longo do período de obras.
No total, foram movimentados 7 milhões de metros cúbicos de terra e 800 mil metros cúbicos de rocha foram retirados para a implantação das novas faixas. Dois trechos, o da Rosa Mística, entre os quilômetros 18 e 20, e o da Serrinha, entre os quilômetros 26 e 28, passaram por obras complexas como a retificação do traçado, em que as pistas antigas foram substituídas por novas, eliminando curvas acentuadas e rampas íngremes. No caso da Serrinha, a pista antiga foi rebaixada em oito metros para compatibilizar o traçado com as novas faixas.
A obra em seu momento de pico funcionou 24 horas e chegou a contar com a participação de 4,8 mil funcionários.
Fonte: Canal do Transporte.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up