Notícias

SP gera menos emprego em um ano, mas representa quase 30% das vagas do país

O estado de São Paulo criou 551 mil empregos com carteira assinada de janeiro a novembro de 2023. O número representa quase 30% de todas as vagas criadas no país. Apesar disso, o número de vagas criadas foi menor do que o mesmo período do ano passado, quando foram criadas 718 mil vagas. Os dados foram enviados pela Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados) do governo de São Paulo.

O que aconteceu

– Houve menos vagas criadas no período em comparação a 2022 em São Paulo. O Seade diz que de janeiro a novembro de 2022 foram criadas 718.183 vagas. A queda do número de vagas criadas em 2023 se deve à pandemia, segundo o Seade, já que 2022 foi um ano em que houve a retomada de vagas que haviam sido fechadas durante a pandemia, o que caracteriza o período como um ano atípico.

– O emprego teve um bom desempenho em 2023. Lucas Assis, economista e analista da Tendências Consultoria, afirma que o Brasil foi beneficiado pela melhora da economia global, pela definição fiscal e a definição da PEC de transição.

– São Paulo tem grande parte dos empregos do país. Assis afirma que o estado lidera a geração de vagas pelo tamanho de sua estrutura produtiva e pela quantidade de serviços disponíveis. “Quando há estados que são especializados em poucos setores, ficam reféns do desempenho dos segmentos. São Paulo se beneficia da diversidade econômica”, afirma Assis.

– As vagas criadas em São Paulo correspondem a quase 30% de todos os postos formais criados no país. De janeiro a novembro de 2023, foram criadas 1.914.467 vagas de trabalho formal no Brasil, com criação de vagas em todos os estados.

“Nosso governo está dando passos firmes para aumentar a geração de renda e de oportunidades. Estamos fazendo a diferença com ações e programas que apoiam todos os que querem empreender e investir em São Paulo.” – Tarcísio de Freitas, governador de São Paulo.

Dados mais fracos, mas positivos

De janeiro a novembro de 2022, São Paulo gerou mais vagas. No período, foram geradas 718 mil vagas formais, enquanto em 2023 foram 551 mil. Apesar de o número de 2023 ser mais fraco comparado ao ano anterior, Assis afirma que os dados são positivos.

– O Seade diz que o resultado de 2022 foi motivado pela retomada da economia nos pós-pandemia. De acordo com o governo do estado, 2022 foi o ano de plena recuperação das vagas perdidas na pandemia e, por isso, o resultado foi atípico. Assis concorda com a posição do Seade e afirma que houve recuperação tanto de vagas formais como informais em 2022.

“O número de 2023 é positivo, apesar de ser menor do que o 2022. Apresentou uma tendência de desaceleração nessa criação de vagas com carteira, mas ainda é um cenário de resiliência e de um quadro favorável para o mercado de trabalho formal.” – Lucas Assis, economista da Tendências Consultoria.

Em novembro, houve crescimento de vagas no comércio e serviços, com destaque para as áreas de informação, comunicação e atividades financeiras e transporte, armazenagem e correio. No total, foram criados 23.517 empregos no comércio e 36.100 vagas em serviços, enquanto houve queda na agricultura (- 6.129) , indústria (- 3.655) e construção (- 2.560).

Expectativa para 2024

– A expectativa para 2024 é de que haja criação de vagas formais, mas em ritmo mais lento. Assis diz que a geração de vagas deve ser menos do que a de 2022 e 2023. O segundo semestre deve ter um resultado mais positivo, impulsionado pela queda da taxa de juros, para Assis.

–  São Paulo deve ser beneficiado pelo crescimento da indústria de transformação, com uma esperada perda de fôlego do setor de serviços. “Os setores de produtos químicos, de refino de petróleo e biocombustíveis, de produtos alimentícios, setor de fabricação de veículos automotores, são segmentos importantes em São Paulo, e devem ser beneficiados especialmente na segunda metade de 2024”, afirma Assis.

 

Fonte: Uol / Foto: ADRIANA TOFFETTI/ATO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Compartilhe: