Notícias

Rodovia dos Bandeirantes completa 35 anos em outubro.

Construída como uma alternativa rápida e eficiente à Via Anhanguera, até então a única ligação duplicada entre Campinas e São Paulo, a Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) foi um dos incentivos para o desenvolvimento econômico das regiões de Campinas e Jundiaí. Essas cidades se transformaram, nas últimas décadas, em importantes polos de tecnologia, pesquisa e educação no estado de São Paulo. A via também é responsável pelo escoamento da produção do interior ao porto de Santos e ao aeroporto de Viracopos, em Campinas.
Nesses 35 anos, ela continua sendo uma referência, tanto em relação à qualidade da rodovia como aos serviços prestados, itens que lhe garantiram o título de melhor rodovia do Brasil por sete anos consecutivos (de 2006 a 2013) pelo Guia Quatro Rodas e outras três vezes (2012, 2006, 2004) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Marco na história recente do sistema de transporte de São Paulo, a Rodovia inovou, na época da inauguração, ao adotar o conceito de autoestrada, com três faixas de rolamento e geometria que privilegia o tráfego de longa distância.
Nos últimos 15 anos, a SP-348 recebeu investimentos como o prolongamento em 78 quilômetros, de Campinas até Cordeirópolis, construção da quarta faixa entre São Paulo e Jundiaí, recuperação do pavimento com utilização de asfalto ecológico, instalação de telefones de emergência a cada quilômetro e novas estruturas de atendimento aos usuários. Além disso, 51 câmeras monitoram o dia a dia da rodovia. Até agosto deste ano, foram realizados mais de 70 mil atendimentos devido à estrutura 24 horas de resgate e atendimento pré-hospitalar, socorro mecânico e guincho.
Este ano, foram investidos R$ 160 milhões para a implantação da quinta faixa entre os quilômetros 14 e 47 para aumentar a capacidade e a fluidez do tráfego. A obra, em andamento, vai beneficiar aproximadamente 3,5 milhões de habitantes das cidades das regiões metropolitanas de São Paulo, Campinas e moradores do município de Jundiaí e das cidades vizinhas. A previsão de término é abril de 2014. A rodovia é administrada pela concessionária CCR AutoBAn, dentro do programa de Concessões de Rodovias do estado.
Ana Rita Gondim
Fonte: Agência CNT de Notícias.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up