Notícias

Região de Campinas terá seis dias de fase vermelha entre Natal e Ano Novo; veja calendário

Com a medida anunciada pelo governo estadual nesta terça (22), apenas serviços essenciais poderão funcionar durante a ‘pausa’ na fase amarela.

Com o aumento de casos e internações por Covid-19, a região de Campinas (SP) fará uma “pausa” na fase amarela e terá regras da fase vermelha nos finais de semana do Natal e do Ano Novo, em que apenas serviços essenciais poderão funcionar. As medidas foram anunciadas pelo governo estadual em coletiva nesta terça-feira (22).

Com isso, entre os dias 25, 26 e 27 de dezembro, e nos dias 1º, 2 e 3 de janeiro de 2021, toda e qualquer atividade que não for essencial está impedida de funcionar.

Deverão permanecer fechados nos seis dias

Comércio de rua e shoppings

Bares e restaurantes

Salões de beleza, cabeleireiros e similares

Academias e centros esportivos

Nos demais dias, seguem as regras da fase amarela. Uma nova atualização do plano SP está prevista para o dia 7 de janeiro, mas o governo de São Paulo já adiantou que nenhuma região será classificada para a fase verde no próximo mês.

“A gente precisa lembrar que não estamos em um momento de festas, nem de aglomerações. É nesses momentos que esse risco de descontrole da pandemia acontece e o mundo inteiro agora está aplicando medidas específicas neste momento. São Paulo sempre se diferenciou do resto do Brasil por honrar o seu compromisso de tomar as decisões no momento necessário e é isso que estamos fazendo agora”, disse a secretária de desenvolvimento econômico, Patrícia Ellen.

Nas últimas quatro semanas, São Paulo registrou aumento de 34% no número de mortes provocadas pelo coronavírus, segundo dados do governo estadual.

Campinas

Procurada para comentar o anúncio do governo do estado, a prefeitura de Campinas confirmou que irá esperar a publicação do decreto estadual para fazer o mesmo na cidade.

“O secretário de Assuntos Jurídicos, Peter Panutto, irá aguardar o decreto estadual para ver se cabe algum complemento”, diz, em nota.

Nesta terça, o prefeito Jonas Donizette (PSB) e o secretário de Saúde, Carmino de Souza, estão a caminho de São Paulo para se reunir com Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, sobre a vacina produzida pelo Instituto em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Jonas, que também é presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), irá formalizar um protocolo de intenções com o Instituto Butantan para facilitar a aquisição de vacinas por médias e grandes cidades.

Vacina

Campinas estará na rota da vacina CoronaVac, que será produzida pelo Butantan. O Aeroporto Internacional de Viracopos recebe nesta quinta-feira (24) o maior lotes de insumos vindos da China.

Segundo o estado, os insumos são suficientes para a produção de 5,5 milhões de doses da CoronaVac, que ainda precisa de autorização da Anvisa para poder ser aplicada.

Fonte: G1

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up