Notícias

Radares móveis voltam para cinco rodovias da região.

thumb - Sindicamp

Cinco rodovias que cortam a RMC (Região Metropolitana de Campinas) passaram a receber radares móveis (que ficam sobre tripés) desde ontem. Vão receber os equipamentos a Anhanguera (SP-330), Dom Pedro I (SP-065), Bandeirantes (SP-348), Governador Ademar Pereira de Barros (SP-340) e Santos Dumont (SP-75).
Os equipamentos vão ser colocados em operação pelas concessionárias CCR AutoBAn, Renovias e Colinas de forma gradativa até o dia 15.
Serão 42 máquinas no Estado de São Paulo coordenadas pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem) em conjunto com a Polícia Militar. O departamento não informou quantos radares serão disponibilizados para as estradas que cortam a RMC.
A localização de cada equipamento não é fixa e será determinada de acordo com estatística de acidentes, entre outros critérios, de forma rotativa.
Segundo o DER, a operação de fiscalização dos radares estáticos é legítima, assegurada tanto pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) quanto pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito).
A orientação dada pelo órgão aos operadores é que os radares sejam instalados de forma visível aos motoristas e usuários, no entanto os locais não serão sinalizados uma vez que o objetivo é que os motoristas transitem respeitando o limite de trânsito durante todo o percurso.
O órgão também informou que o excesso de velocidade é o fator principal de acidentes e mortes nas estradas.
Os 42 equipamentos serão operados pela empresas Fiscal Tecnologia e Automação, responsável por um lote, e Sitran Sinalização de Trânsito Industrial, que vai operar dois lotes.
As empresas venceram pregão eletrônico realizado pelo DER para a operação dos equipamentos, que pertencem às concessionárias de rodovias. Não foi divulgado o valor do contrato. O DER apenas informou que será válido até 31 de dezembro.
MAIS MULTAS
Ao contrário dos equipamentos fixos, que permitem ao motorista desacelerar quando se aproximam do radar, os móveis são levados pelos operadores para pontos estratégicos e podem ser mudados de lugar conforme a conveniência do sistema de trânsito.
Para se ter uma ideia da eficiência dessa fiscalização, em janeiro do ano passado, com os radares ainda em operação, foram aplicadas 261.551 multas por excesso de velocidade nas rodovias concedidas.
No mês seguinte, já com os radares móveis ausentes nas estradas do Estado, o número de multas caiu para 158.537.
Fonte: O melhor de valinhos.

 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up