Notícias

Ponte sobre Rio Atibaia tem liberação parcial para veículos

Estrutura permite acesso ao distrito de Joaquim Egídio pela Rodovia D. Pedro 1

Uma importante conexão em Campinas, que atende motoristas de toda a região e turistas que visitam o distrito no final de semana, já está parcialmente liberada desde a manhã desta terça-feira. Trata-se da ponte que liga a Rodovia D. Pedro 1 a Joaquim Egídio, na altura do km 122, sobre o Rio Atibaia.

Em outubro de 2019, a Ponte do Padre Abel, construída em pedra e madeira, foi interditada por causa do risco de desabamento. Desde então, moradores dos distritos que circulam pela região têm como única opção de trajeto a entrada principal de Sousas. A nova ponte vai desafogar o tráfego de veículos nos distritos e atenderá moradores de propriedades rurais e de condomínios da região.

A estrutura teve sua liberação parcial ainda com os cones, nos dois sentidos. Operários seguem trabalhando no local, onde é mantido o canteiro de obras. A ponte antiga não foi demolida. É possível avistá-la na travessia. É possível perceber também que o novo equipamento foi feito numa elevação bem maior, seguindo o nível da D. Pedro e considerando o escoamento de água em dias de chuva, além de eventual inundação do Atibaia.

Içamento de vigas

As operações de içamento das vigas de suporte da ponte ocorreram em agosto último e foram acompanhadas pelo Hora Campinas. Foram ao todo cinco vigas de 32m de extensão e 70 toneladas cada uma, que estão apoiadas nas cabeceiras da ponte.

Com a finalização da obra, mais de duas mil pessoas que vivem em Joaquim Egídio, além dos visitantes que frequentam o distrito, serão beneficiadas pelo acesso mais rápido à região. A ponte também será importante para os moradores do distrito de Sousas, que tem mais de 24 mil moradores, e dá acesso a outras cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

O Departamento tem um convênio com a Prefeitura de Campinas, por meio da Secretaria de Infraestrutura e com apoio da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, para a obtenção das licenças ambientais junto à Cetesb, agência ambiental do Estado de São Paulo.

A providência foi baseada em estudos técnicos apresentados pela Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), com apoio da concessionária Rota das Bandeiras.

Fonte: Hora Campinas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email