Notícias

Paraná tem o maior programa de duplicações dos últimos 25 anos.

 

A malha rodoviária do Paraná está passando pelo maior programa de duplicações dos últimos 25 anos. A estimativa do Estado é fechar 2014 com 265,1 quilômetros de rodovias duplicadas ou em fase final de duplicação. A atual administração terá feito mais duplicações do que foi executado no período de 1990 a 2010, quando foram entregues 244 quilômetros de pistas duplas.

Atualmente o Paraná conta com 1.023 quilômetros de rodovias duplicadas, somando as estaduais, concessionadas e federais. O pacote de melhorias viárias prevê também o início de mais 369 quilômetros em 2015 e a elaboração de projetos para viabilizar a construção para mais 654 quilômetros de pistas duplas. São obras executadas com recursos públicos ou antecipadas nas negociações com as concessionárias de pedágio.

“O Paraná volta planejar seu futuro. Após anos sem ter projetos, o Estado fez o seu trabalho e está ampliando a capacidade das atuais rodovias e pensando em novos corredores para promover o desenvolvimento, diminuir custo do transporte, beneficiando o setor produtivo e toda a sociedade paranaense”, disse o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

Somente neste ano, a estimativa é entregar 68 quilômetros de rodovias e concluir, ao longo de 2015, outros 197,1 quilômetros iniciados pelo governo Beto Richa. E junto estão sendo feitos também 35 viadutos, 24 trincheiras, 8 pontes sobre rios e ferrovias, 9 passarelas, além da inclusão de 25 km de marginais e terceiras faixas. Também está programada a construção de calçadas e de ciclovias.

INTEGRAÇÃO – O diretor-geral do DER, Nelson Leal Junior, disse que o foco do governo foi investir na integração das rodovias do Estado. “Estão em andamento parcerias com as prefeituras (em estradas municipais) e indústrias, melhorias e ampliação da capacidade das rodovias estaduais. Sem contar da negociação com as concessionárias, que implicou na retomada de obras de duplicações a inclusão de obras retiradas do contrato original”, disse Leal Junior.

Após intervenção do Governo do Estado, foram incluídos trechos retirados do contrato de concessão, como a ligação entre Medianeira/Matelândia/acesso de Ramilândia e a duplicação de Cambé. Também foram antecipadas obras que começariam a partir de 2016, como a duplicação da Rodovia do Café, cujo início estava previsto em contrato para 2017.

Ao todo, as concessionárias irão investir R$ 1,5 bilhão, com a duplicação de 148 km e a construção de 15 viadutos, 16 trincheiras, 8 pontes, 9 passarelas e 25 km de marginais e terceiras faixas.

OBRAS ENTREGUES – Estão sendo investidos R$ 426 milhões na duplicação dos 68 km de duplicação entregues até o fim do ano. Estarão concluídas as duplicações entre Maringá e Paiçandu (4 km); Londrina a Cambé (22 km); Contorno de Mandaguari (10km), Jandaia do Sul a Apucarana (16,6km) e o contorno de Campo Largo (11km). Além dos 14,4 quilômetros já entregues entre Matelândia e Medianeira.

A estimativa é que, a partir do primeiro trimestre de 2015, comecem a serem entregues as duplicações iniciadas em 2014, como as em execução entre Guarapuava e Relógio (6,7 km); Rodovia da Uva em Colombo (6,5 km); Rodovia dos Minérios, entre Curitiba e Rio Branco do Sul (23km); Curitiba a Piraquara (13,9 km); Campo Mourão a Floresta (53 km); Paiçandu a Jussara (43 km); Mandaguaçu a Nova Esperança (24,1 km); Trevo do Cedro ao rio Tibagi, em Ponta Grossa (11km); e Apucarana a Califórnia (16,6 km). Estas obras somam 197,8 km e os investimentos alcançam a marca de R$ 941 milhões.

OBRAS PARA 2015 – Em 2015, vão começar também as obras de duplicações entre Jussara e Francisco Alves (164 km), no Noroeste do Paraná, que fazem parte da parceria público privada. “Este trecho faz parte da parceria pública e privada que vai modernizar e duplicar a PR-323, ligando Maringá até Francisco Alves”, disse o diretor do DER, Nelson Leal Junior. Serão construídos 19 viadutos, 22 trincheiras, 13 passarelas, nove pontes e vias marginais, atendendo 14 municípios, onde vivem cerca de um milhão de pessoas. Ao final das obras, a rodovia ficará com 220 quilômetros de pistas duplicadas.

E se dará continuidade às obras de duplicação entre o rio Tibagi, em Ponta Grossa, e a cidade de Califórnia. São mais 202,5 quilômetros, que vão garantir a duplicação da Rodovia do Café, uma das principais ligações do Paraná. A duplicação entre Jaguariaíva e Piraí do Sul, na PR-151, na região dos

Campos Gerais, vai ser finalizada ao longo do próximo ano. Todas estas obras somam mais de R$ 2 bilhões em investimentos.

PROJETOS – No mesmo ano, o Estado terá em mãos os estudos de duplicações e ampliação de capacidade de importantes rodovias paranaenses. Até junho deste ano, vão começar os estudos de duplicações das rodovias PR-466 (entre Guarapuava e Manoel Ribas – distrito de Furnas (129,5 km); PR-151, entre Ponta Grossa e Palmeira (43,1 km); PR-092, entre Jaguariaíva e Santo Antônio da Platina (135 km), PR-445 (63 km), em Londrina; PR-170, entre Rolândia e a divisa com São Paulo (85 km); PR-317, entre Maringá e a divisa com São Paulo (100km); corredor Sudoeste, entre Realeza e General Carneiro (287 km).

No programa de criação de novos corredores rodoviários está uma nova ligação pela PR 092, que vai cruzar o Vale do Ribeira até chegar a BR-116, tornando-se um novo caminho de ligação à região portuária ou para o grande comércio de São Paulo. Outro trecho que o Estado está buscando ampliar.

Obras:

-Duplicações entregues até dezembro de 2014
-Maringá/Paiçandu (PR-323) – 4 km
-Londrina/Cambé (PR-445) – 22 KM (17 km do DER e 5 km da concessão)
-Contorno de Mandaguari (BR-376) – 11 KM (concessão)
-Contorno de Campo Largo (BR-277) – 11 KM (concessão)
-Jandaia do Sul/Apucarana – (BR-369) 11 KM (concessão)
-Medianeira/Matelândia – (BR-277) 9 KM (concessão)
-Total de duplicações – 68 KM
Investimento – R$ 426,3 milhões

Duplicações iniciadas em 2014 e que serão entregues em 2015
Curitiba/Piraquara (PR-415) – 13,9km (DER/inicia neste semestre)
Rodovia da Uva (PR-417) – 6,5 km (DER em andamento)
Curitiba/Rio Branco do Sul (PR-090) – 23 km (parceria com a iniciativa privada/inicia no segundo semestre)
Apucarana/Califórnia (BR-376) – 16,6 km (concessão/inicia no segundo semestre)
Ponta Grossa/Rio Tibagi (BR-376) – 11 km (concessão em andamento)
Campo Mourão/ Floresta (PR-317) – 53 km (concessão em andamento)
Paiçandu/Jussara (PR-323) – 43 km (Parceria Público-Privada, inicia em julho)
Mandaguaçu/Nova Esperança (BR-369) – 24,1 km (concessão inicia no segundo
semestre)
Matelândia/Ramilândia (BR-369) – 6 km (concessão inicia no segundo semestre)
Total De Duplicações – 197,1 km
Investimentos – R$ 941 milhões

Duplicações programadas para iniciar em 2015
Jussara/Francisco Alves (PR-323) e um trecho de 3 km em Umuarama– 167 km (Parceria Público-Privada)
Rio Tibagi, Ponta Grossa-Califórnia – 202 km (CONCESSÃO)
Total de duplicações – 369 km
Investimentos – R$ 2 bilhões

Projetos e estudos de duplicações
PR-466, entre Guarapuava e Manoel Ribas – Distrito de Furnas (129,5 km)
PR-151, entre Ponta Grossa e Palmeira (43,1 km)
Pr-092, entre Jaguariaíva e Santo Antônio da Platina (135 km)
PR-445 , em Londrina (63 km)
Pr-170, entre Rolândia e a divisa com São Paulo (85 km)
PR-317, entre Maringá e a divisa com São Paulo (100 km)
Corredor Sudoeste, entre Realeza e General Carneiro (287 km).
PR-090- entre Piraí do Sul e Campo Magro (Rodovia do Cerne) (131,8 km)
PR-340- entre Jaguariaíva/Tunas do Paraná até a BR-116 (230 km)
PR-101- entre a BR-116 e a BR-376 (96 km)
TOTAL DE DUPLICAÇÕES: 1.300,4 km
Fonte: Setcesp.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email