Notícias

Indústria de SP puxa queda da produção nacional, com recuo de 0,5% em fevereiro, diz IBGE

A indústria de São Paulo registrou queda de 0,5% em fevereiro, ante janeiro, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM Regional), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em janeiro, a indústria paulista havia crescido 0,8%, recuperando parte da perda de 1,6% que tinha registrado em dezembro, frente a novembro. Naquele mês, a região exerceu a segunda influência positiva para a indústria brasileira em janeiro – que apesar disso fechou o mês em queda de 1,6%.

Em fevereiro, a situação se inverteu, e a indústria paulista foi a principal responsável pela queda de 0,3% na atividade industrial brasileira no mês. O Estado concentra o principal parque industrial do país, com participação de 33% na atividade nacional.

“Observamos o Estado de São Paulo como o de maior influência negativa sobre o resultado nacional com um recuo de 0,5%”, afirmou Bernardo Almeida, analista da PIM Regional.

“O setor de derivados do petróleo foi o que mais influenciou negativamente no comportamento da indústria paulista, seguido pelo setor de alimentos e de produtos químicos”, completou o pesquisador.

São Paulo teve alta de 4,6% da produção em fevereiro de 2024 frente a fevereiro de 2023, abaixo do ritmo da média brasileira no período (5%). No resultado acumulado em 12 meses, São Paulo caiu 0,5%, enquanto a produção brasileira tem alta de 1%.

 

Outros locais

A produção da indústria recuou em cinco dos 15 locais pesquisados em fevereiro: Mato Grosso (3,3%), Goiás (2,4%), Pará (2,2%), Santa Catarina (0,6%) e São Paulo.

Por outro lado, Rio Grande do Sul (9,4%), Amazonas (7,3%) e Espírito Santo (5,9%) registraram as maiores altas em fevereiro. Ceará (5,2%), Pernambuco (5,2%), Rio de Janeiro (2,0%), Bahia (1,8%), Região Nordeste (1,6%), Minas Gerais (0,9%) e Paraná (0,6%) tiveram os demais resultados positivos no mês.

No acumulado dos últimos 12 meses, o setor industrial avançou 1,0%, com taxas positivas em 12 dos 18 locais pesquisados. Já no acumulado de 2024, a indústria cresceu 4,3%, frente a igual período do ano anterior.

Fonte: O Valor Econômico

Compartilhe: