Notícias

Greve de 37 dias na zona franca provoca prejuízo milionário.

Fabricantes e comerciantes da Zona Franca de Manaus somam prejuízos milionários em razão de greve de servidores da Suframa (autarquia federal que administra o complexo) que completa hoje 37 dias.

Por causa da paralisação, cerca de 1.600 carretas e 40 mil toneladas de carga estavam paradas ontem em Manaus à espera de vistoria para ingressar na zona franca.

O Cieam (Centro da Indústria do Amazonas) estima prejuízo de R$ 300 milhões desde o início da greve. O faturamento da zona franca em 2013 foi de R$ 83 bilhões –média de R$ 315 milhões por dia útil.
Para o superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, “o impacto preocupa, mas não tem a dimensão que estão colocando. A maioria das fábricas está produzindo, há algum dano, mas pontual”.

A Suframa cuida da fiscalização de produtos que chegam à zona franca, além da aplicação de incentivos fiscais e avaliação de indústrias que querem se instalar por lá.

Segundo o Sindframa (Sindicato dos Funcionários da Suframa), os cerca de 400 funcionários aderiram, mas 30% dos serviços são mantidos, por decisão judicial.

Eles reivindicam reajuste salarial superior a 100%, plano de carreira e melhorias na infraestrutura, entre outros itens. O Ministério do Desenvolvimento, responsável pela Suframa, enviou duas propostas aos grevistas, ambas sem indicação de reajuste salarial e rejeitadas.
Fonte: NTC.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up