Notícias

Flagrantes mostram motoristas de caminhão descumprindo rodízio

 

A quantidade de carros e caminhões circulando em São Paulo é tão grande que foi preciso criar um rodízio para não travar totalmente a cidade. Desde 2009, os caminhões não podem circular pelas marginais durante o dia, só depois das 22h. Porém, não é isso que está acontecendo.

Os caminhões deveriam ficar bem longe das marginais do Tietê e do Pinheiros, as vias mais movimentadas, que atravessam a capital paulista. As placas avisam: é proibida a circulação de caminhões entre 17h e 22h, mas tem motoristas que teimam, mesmo sabendo que vão levar uma multa de R$ 85,13.

A reportagem do Jornal Hoje flagrou algum desses motoristas. Nem as viaturas da PM intimidam. Um deles colou um adesivo na placa traseira. Ele podia não saber, mas os radares inteligentes ficam de olho na placa da frente. Muitos outros já descobriram isso e usam de tudo para cruzar a cidade no horário restrito.

Em uma carreta, por exemplo, o adesivo esconde os quatro números da placa. Quem não quer atrasar a viagem, quase encosta no caminhão da frente, que tem autorização para andar pelas marginais para impedir a visão dos radares. A equipe do jornal flagrou um caminhão com a placa abaixada e outros dois com os faróis de neblina acesos ao redor da placa para ofuscar e impedir a leitura.

Quem faz isso, só não espera encontrar uma blitz da PM. No meio do trânsito, a polícia manda o caminhão parar no meio da pista. O caminhoneiro desce apressado e os policiais até se assustam. No acostamento, o policial encontra sinais de que duas letras da placa traseira tinham sido adulteradas. Na da frente do caminhão, a tentativa de enganar o rodízio fica evidente. A placa estava fora do lugar, amarrada e pendurada.

Adulterar placas é crime, uma infração gravíssima. A multa é de R$ 191,54 e sete pontos na carteira.

Pelo tamanho da fila de caminhões na Via Dutra, dá para ver que a maioria dos caminhoneiros respeita o horário de restrição. Quando ele acaba, a pressa é grande. As pistas ficam livres depois das 22h. A partir desse horário, parece que há mais caminhões do que carro nas marginais.

Um caminhão tanque, carregado, acelera mais do que os outros. Ele troca o tempo todo de faixa, passa quase raspando pelos outros veículos para chegar logo ao acesso da estrada. Um outro tem mais pressa. Com o carro de reportagem, a equipe do Jornal Hohe chega ao limite permitido de velocidade: 90km/h. O caminhão de peixes passa bem mais rápido. Estava garoando, as pistas estavam molhadas e o caminhão pressionava carros de passeio para abrir caminho. Ele vai de um lado para o outro, invade a faixa da esquerda e vai embora.

Só no primeiro trimestre deste ano, mais de 21.600 caminhões foram multados nas marginais. Os principais motivos são falta de visibilidade das placas, falta de conservação e excesso de velocidade.

O motorista acha que vai passar impune quando não vê polícia na pista. “Se ele não vir policial, se acha no direito, embora ele esteja sendo fiscalizado pelo radar. Lembrando que toda vez que for flagrado com excesso de velocidade superior a 50% do permitido, vai ter sua habilitação suspensa por um período que pode variar de quatro a 12 meses”, afirma Marcos Rogério da Cunha, comandante do Policiamento de Trânsito.

Segundo a Polícia Militar, os caminhões representam apenas 3% do tráfego na cidade de São Paulo, mas se envolvem em 30% dos acidentes nas marginais.

Fonte: G1

Compartilhe:

Receba nossa newsletter!

Fique por dentro das novidades do setor.

© 2022 – Sindicato das Empresas de Transportes e Cargas de Campinas e Região – SINDICAMP – Todos os direitos reservados | Desenvolvido por PrinciWeb