Notícias

Evento foca rastreabilidade de medicamentos em São Paulo.

No próximo dia 8 de novembro, a Sunnyvale reúne especialistas em soluções de hardware e software para a indústria farmacêutica, além de representante do Sindusfarma, para levar informação aos profissionais dos laboratórios farmacêuticos sobre adequações à normativa da Anvisa
A Sunnyvale realiza o evento Rastreabilidade na Indústria Farmacêutica, no próximo dia 8 de novembro, em sua sede em São Paulo. Na oportunidade estarão presentes o gerente de Boas Práticas e Auditorias Farmacêuticas, do Sindusfarma, Jair Calixto, o diretor da T2 Software, Rodrigo Klein, e o especialista em Termo Ink Jet da Domino Printing, Phillip Parkins.
O Wagner Gennari, gerente da divisão de codificação industrial da Sunnyvale. objetivo é reunir representantes dos laboratórios farmacêuticos para que eles tenham maior conhecimento sobre o tema e o que será preciso fazer para adequar as linhas de produção dentro deste novo cenário de acordo com a lei 11.903/09. “Por isto juntamos especialistas da área de TI, de hardware e de soluções para a indústria farmacêutica, assim como um representante da Domino Printing, que vem da Inglaterra especialmente para este evento, além da importante presença de Jair Calixto do Sindusfarma”, explica
A tecnologia a ser adotada para a captura, armazenamento e transmissão eletrônica de dados necessários ao rastreamento de medicamentos no Brasil será o de código de barras bidimensional (Datamatrix). A Sunnyvale apresentará equipamentos que integram as tecnologias necessárias para uma solução completa para codificação de embalagens primárias, secundárias e terciárias.
As codificadoras Domino com as tecnologias Thermal Ink Jet, Laser e Termo-transferência atendem os requisitos exigidos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a impressão do código bidimensional nas embalagens de medicamentos. São equipamentos em conformidade com o CFR 21 part 11 e GAMP 5, normas específicas que garantem validação dos processos e que definem as boas práticas para a indústria farmacêutica. “Também é importante citar que as codificadoras imprimem o Datamatrix com Grade A, uma especificação da GS1 (Associação Brasileira de Automação), que é responsável pelo desenvolvimento e aplicação de padrões globais de identificação”, acrescenta Wagner Gennari.
Fonte: Portal Log Web.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Scroll Up