Notícias

Crise reduz renovação da frota brasileira de veículos

Um estudo inédito do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) concluiu que a renovação da frota de carros, motos ônibus e caminhões no Brasil está mais lenta.

Ela chegou a estar em alta velocidade anos atrás, mas foi desacelerando e quase parou. O crescimento no ano passado ficou bem longe do visto no começo da década, antes da crise econômica.

Para chegar a essa conclusão, o IBPT levou em conta quantos carros novos entraram no mercado menos o número de carros que deixam de circular todo ano, seja por acidente, roubo ou até mesmo por estarem muito velhos.

“Esse queda se dá principalmente por causa da nossa crise econômica. Menos veículos em circulação por causa de menos produção e menos comercialização, esse é um fator maior”, explica João Elói Olenike, presidente do IBPT.

“Aí temos outros fatores também, como o aumento dos roubos. Também temos o aumento dos veículos sinistrados, que aumentaram muito os sinistros de veículos por causa de acidentes”, completa, se referindo aos acidentes em que o veículo tem perda total.

O estado mais populoso também tem a maior frota real. De cada 3 veículos no Brasil, 1 roda em São Paulo. São 18,8 milhões no estado, 28,7% da frota nacional. Em seguida vêm Minas Gerais (8 milhões) e Paraná (5,2 milhões).

Fonte: ABTC.

Compartilhe:

Receba nossa newsletter!

Fique por dentro das novidades do setor.

© 2022 – Sindicato das Empresas de Transportes e Cargas de Campinas e Região – SINDICAMP – Todos os direitos reservados | Desenvolvido por PrinciWeb