Notícias

Após Infra Week, governo espera atrair mais R$ 56 bilhões em investimentos

Após leiloar 28 ativos no começo de abril e atrair R$ 10 bilhões em compromissos de investimento, o Ministério da Infraestrutura deve realizar mais uma série de leilões até o fim deste ano. Os certames incluem rodovias, a ferrovia Ferrogrão, áreas dentro de terminais portuários e a privatização de portos localizados no Espírito Santo. A expectativa é de que esses leilões gerem pelo menos mais R$ 56,3 bilhões de aporte financeiro.

O próximo leilão de infraestrutura será o das BRs-153/080/414/GO/TO. Ele está agendado para esta quinta-feira (29), na bolsa de valores de São Paulo (B3). Será concedido um trecho de mais de 850,7 quilômetros, entre Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO), sendo a principal via de ligação dos estados do meio-norte ao centro-sul do país. É, ainda, uma das principais rotas de produtos agropecuários do Norte para o Sul.

A BR-153 foi concedida à Galvão Engenharia em 2014, mas o governo teve de cassar a concessão por descumprimento do contrato. A concessionário tinha de investir R$ 6,84 bilhões em melhorias, mas nem sequer deu início à duplicação, prevista no contrato. Foi o primeiro caso de concessão de rodovia cassada. A Galvão Engenharia foi alvo da Operação Lava Jato e entrou em recuperação judicial.

Agora, quem vencer o leilão terá de se comprometer a investir R$ 7,8 bilhões em melhorias nas rodovias ao longo dos 35 anos de contrato. Entre os investimentos a serem feitos, está a duplicação de 623,32 quilômetros, sendo mais da metade entre o terceiro e o décimo ano de contrato. Vencerá o leilão quem oferecer a menor tarifa de pedágio e pagar a maior outorga à União.

Outra rodovia com leilão marcado é a BR-163/230/MT/PA. O certame ocorrerá no dia 8 de julho. São 1.009 quilômetros de extensão entre a divisão do Pará e do Mato Grosso. O concessionário terá de investir R$ 1,9 bilhão na rodovia, muito usada para a logística do agronegócio do Centro-Oeste do Brasil. O contrato será de dez anos, prorrogáveis por mais dois anos.

Ainda em rodovias, devem ocorrer ao menos duas importantes concessões ao longo do ano: o da Via Dutra (BR-116/101/SP/RJ), com R$ 14,5 bilhões de investimentos projetados; e o da BR-381/262/MG/ES, com mais R$ 7,2 bilhões. Os leilões estão previstos para o terceiro trimestre. Eles já tiveram o aval do Tribunal de Contas da União (TCU), mas os editais ainda não foram publicados.

O Ministério da Infraestrutura fala, ainda, em fazer em 2021 o leilão das Rodovias Integradas do Paraná, com R$ 43,7 bilhões em investimentos. Porém, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) prevê esse certame somente no primeiro trimestre de 2022.

 

Fonte: Gazeta do Povo

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email