Notícias

Após aumento da Autoban, recibo de pedágio deve ser guardado, diz Artesp.

 

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) divulgou comunicado orientando os usuários do Sistema Anhanguera-Bandeirantes a guardarem os comprovantes de pagamento dos pedágios que sofreram reajuste a partir desta quarta-feira (23) após uma decisão judicial.

A Artesp recorreu e aguarda nova análise da Justiça. Por isso, caso a decisão seja revertida, existe a possibilidade de devolução do valor acrescido, mas o método de ressarcimento só será definido se o recurso for aceito.

A tarifa pedágio aumentou em R$ 0,10 nas praças da Anhanguera e da Bandeirantes, com exceção das praças de Nova Odessa (SP), na Anhanguera, e de Sumaré (SP), na Bandeirantes. Nesses locais, o reajuste concedido pela Justiça, após arredondamento, faz com que os valores cobrados atualmente não sofram alteração, segundo a CCR AutoBan, que administra as rodovias.

Discussão pelo reajuste

A Justiça de São Paulo determinou que as tarifas do Sistema Anhanguera-Bandeirantes terão reajuste de 6,37% a partir desta quarta-feira em relação aos valores que eram praticados até junho. Naquele mês, a Artesp havia determinado reajuste de 5,38% a partir de 1º de julho, mas a CCR Autoban não concordou com o aumento de 5,38% autorizado pelo governo e recorreu.

A Justiça atendeu ao pedido da concessionária para que o aumento considerasse a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – os 6,37% solicitados, e conseguiu aumentar a tarifa em R$ 0,10 nas praças da Anhanguera e da Bandeirantes, com exceção das praças de Nova Odessa, na Anhanguera, e de Sumaré, na Bandeirantes. Outras concessionárias também foram à Justiça, mas apenas a CCR Autoban obteve até o momento decisão favorável.

Fonte: G1 São Paulo.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email