Notícias

Acidente em obra do metrô provoca desabamento de pista da Marginal Tietê em SP, não há vítimas

Parte da pista da Marginal Tietê desabou nesta terça-feira devido a um acidente em obras de perfuração do túnel da futura Linha 6-Laranja do metrô de São Paulo, levando à interdição da via no sentido da rodovia Ayrton Senna, mas sem deixar vítimas, de acordo com o Corpo de Bombeiros, com a Secretaria de Transportes Metropolitanos do Estado e com a concessionária responsável pela obra.

A empresa espanhola Acciona, responsável pelas obras e pela futura operação da linha, disse em nota que o acidente foi causado pelo rompimento de uma coletora de esgoto. A empresa, no entanto, não detalhou o que teria provocado esse rompimento.

“A Linha Uni e a Acciona, responsáveis pelas obras da Linha 6-Laranja do metrô, informam que, hoje pela manhã, ocorreu um rompimento de uma coletora de esgoto próximo ao VSE Aquinos (Poço de Ventilação e Saída de Emergência)”, disse a empresa.

“O incidente não causou nenhuma vítima. Equipes da Linha Uni, da Acciona e demais técnicos estão no local para apurar os fatos. Todas as medidas de contingência já foram tomadas. Parte do asfalto da Marginal Tietê cedeu e, por questão de segurança, a pista está parcialmente interditada.”

Em entrevista coletiva no local, o governador de São Paulo, João Doria, disse que uma coletora de esgoto da Sabesp no local foi atingida, o que provocou o acidente.

“A engenharia da Acciona identificou que o problema foi de uma coletora, eles atingiram uma coletora da Sabesp”, afirmou Doria, que disse ter confiança na empresa responsável pelas obras.

Ao lado do governador, o presidente da Acciona no Brasil, André De Angelo, negou que a máquina que perfura o túnel, conhecida como tatuzão, tenha se chocado com a rede de esgoto.

“Não houve nenhum choque entre o tatuzão com as redes coletoras ou adutoras. Não houve nenhum choque”, assegurou.

“Estamos buscando as causas agora. Provavelmente tem a ver com as chuvas, com erosões, porque a tuneladora estava a três metros dessa coletora, então não houve nenhum choque”, insistiu.

Em entrevista no local antes de Doria, o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Paulo Galli, também negou que o tatuzão tenha atingido a coletora. Ele disse que a escavação pode ter tirado sustentação da galeria, mas disse que as investigações é que determinarão as causas do acidente.

“Não houve choque do tatuzão com a galeria, porque ele passava por baixo da galeria… Se eu começo a cavar o solo, aí perde a sustentação, aí a galeria toda vem para baixo”, afirmou Galli, que disse não ser ainda possível estimar possíveis atrasos nas obras da Linha 6-Laranja, cuja entrega é prevista para 2025.

“Obviamente é uma obra de impacto. Eu não consigo dizer agora quanto tempo vai levar para consertar, mas a gente quer pressionar a construtora para que seja mantido o prazo. Agora, para isso a gente vai ter que solucionar”, disse.

Os Corpos de Bombeiros foram acionados às 8h40 desta terça por causa do acidente, mas segundo o porta-voz da corporação, todos os trabalhadores conseguiram deixar o túnel da obra antes que ele inundasse. Doria disse que apenas quatro funcionários foram atendidos por terem tido contato com água do esgoto, mas já foram liberados.

Inicialmente, o acidente provocou a interdição total das pistas da Marginal Tietê no sentido Ayrton Senna, mas pouco antes das 12h a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) da capital paulista disse que duas pistas haviam sido liberadas. A CET pediu que os motoristas evitem a região.

A Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo da Capital anunciou em nota à imprensa a abertura de um inquérito civil para apurar as causas do acidente na linha do Metrô, bem como a extensão dos danos urbanísticos e ambientais causados.

O Ministério Público paulista requisitou informações ao consórcio contratado pelo governo estadual. Segundo o comunicado, a Defesa Civil também foi instada a informar sobre a existência de risco nos imóveis residenciais e empresariais existentes no entorno e a Sabesp e a CET deverão prestar esclarecimentos, respectivamente, sobre a rede de esgoto e ordenação do trânsito na região.

ACESSO A RODOVIAS E AEROPORTO

A Marginal Tietê é uma das principais vias expressas da cidade de São Paulo e liga, por exemplo, a capital paulista às rodovias Presidente Dutra, Ayrton Senna e ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, o mais movimentado do país.

A futura Linha 6-Laranja do metrô ligará o bairro de Brasilândia, na zona norte da cidade de São Paulo, até a estação São Joaquim, da Linha 1-Azul do metrô, no centro da cidade.

Apontada como a maior obra de infraestrutura atualmente em execução na América Latina pelo governo paulista, a Linha 6-Laranja do metrô paulista terá 15 estações e 15 quilômetros de extensão.

A Acciona assumiu o projeto em outubro de 2020 –antes, ficara anos parado devido a um imbróglio envolvendo o consórcio anterior, que chegou a ser integrado por Odebrecht TransPort (OTP) Queiroz Galvão e UTC.

Em 2007, um desabamento na construção da estação Pinheiros, na Linha 4-Amarela do metrô paulista, também uma parceria público-privada cujas obras foram de responsabilidade privada, deixou sete mortos.

Fonte: Reuters

Imagem: Carla Carniel/Reuters

Compartilhe:

Receba nossa newsletter!

Fique por dentro das novidades do setor.

© 2022 – Sindicato das Empresas de Transportes e Cargas de Campinas e Região – SINDICAMP – Todos os direitos reservados | Desenvolvido por PrinciWeb